Personalidades
Vitor Ortiz
Vítor Ortiz, 51, nasceu em Viamão, em 09/09/1964. Estudou nas escolas Stella Maris, Castelo Branco, Farroupilha Estadual e ETA.
Acadêmico de História da UFRGS e um dos fundadores do Núcleo de Pesquisa Histórica Prof. Mário Curtis Giordani.
Cursou Gestão Cultural no OPC (Observatoire de Politiques Culturelles), em Grenoble, na França, a convite do Governo Francês.
Cursou Jornalismo na UFRGS.
Foi repórter e colunista do jornal Correio Rural, nos anos 80, onde implantou o sistema off-set de impressão. Em 1990 fundou o jornal Quarta-Feira, semanário que marcou época na cidade.
Foi também professor nas escolas Castelo Branco e Isabel de Espanha.
De 1997 a 2000 foi secretário municipal da Cultura, Esporte e Turismo, no primeiro mandato do Prefeito Eliseu Chaves.
Em 2000, foi eleito vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

EM NÍVEL ESTADUAL
Em 2002, assumiu a Secretaria da Cultura de Porto Alegre, na gestão do Prefeito João Verle, onde permaneceu até dezembro de 2004. Entre os principais projetos destes período está a entrega da obra de restauração do Paço Municipal (ao lado do Mercado Público) e a construção do Complexo Cultural do Carnaval de Porto Alegre, no Porto Seco. Também é um fato importante deste período a entrega da obra de restauro do Paço Municipal, ao lado do Mercado Público, e a desapropriação do edifício do Cine Imperial, negociando com a Caixa a implantação em Porto Alegre de um centro cultural daquela instituição (o que neste momento está em obras, na Praça da Alfândega). Também neste período em que esteve a frente da Prefeitura de Porto Alegre foi um dos responsável pela formulação do documento Agenda 21 da Cultura, hoje traduzido para 19 idiomas e reconhecido por mais de 300 cidades em todo o mundo como um documento de referências para as políticas culturais em nível local.

NO BRASIL
De janeiro de 2005 a fevereiro de 2007, foi diretor do Centro de Programas Integrados da FUNARTE (Fundação Nacional de Artes), órgão vinculado ao Ministério da Cultura, no Rio de Janeiro, onde coordenou a implantação das Câmaras Setoriais de Música, Teatro, Dança, Circo e Artes Visuais, e dirigiu o Programa de Edições da Fundação.
Entre 2007 e 2008, foi diretor de Relações Institucionais da Fundação Bienal do Mercosul e diretor do Instituto Hominus.
Neste último, desenvolveu o projeto Personagens do Centro de Porto Alegre, premiado pelo Programa Monumento (MinC, BID e Unesco) e coordenou o processo de instalação da Sala CineBancários, na rua da Ladeira, que acabou por se tornar uma das mais importantes salas de cinema de rua de Porto Alegre.
Em 2009 e parte de 2010 foi secretário da Cultura de São Leopoldo. Em 2010, foi Gerente Regional da TV Brasil (antiga TV Cultura) do Rio de Janeiro.
Em janeiro de 2011 assumiu o cargo de Secretário-executivo do Ministério da Cultura, na gestão da ex-Ministra Ana de Hollanda, onde permaneceu até outubro de 2012. Nesta condição, exerceu várias vezes o cargo de Ministro da Cultura e representou o Brasil em diversos encontros internacionais, como na reunião de Ministros do Mercosul, em 2011, em Montevidéu; na Cúpula Iberoamericana de Cultura, em Salamanca na Espanha (2012), na mostra Brasil-Europália, em Bruxelas; e, também em 2012, nas reuniões preparatórias da Rio+20, na sede da UNESCO, em Paris.
Tem duas filhas: Carolina, 23 anos; e Juliana, 21.